Experiência REBEL

Aqui você conhece jogos, livros e outros objetos lúdicos a partir da experiência da comunidade REBEL e de convidados especiais!

#xpREBEL

Na estreia da seção, temos a querida Tainá Felix, da Game e Arte! Pedimos a essa roteirista, vencedora do Concurso Rebeldias (2017, com “A Nova Califórnia”), que compartilhasse uma experiência com jogo independente. Confira – XP REBEL: a quebra da quarta parede em “Bem feito”, de oiCabie et al.

Lucas Meneguette fala sobre o som de Donkey Kong Country em XP REBEL: Qual é o som de bananas voadoras?

José Geraldo Oliveira investiga Alice no País das Maravilhas em XP REBEL: O que vi e ouvi do outro lado do espelho


  • XP REBEL: Imersão em solidão serena
    (por Leonardo Lima) Em Abzû, você assume o papel de um mergulhador e explora ambientes carregados de significado
  • XP REBEL: O que vi e ouvi do outro lado do espelho
    (por José Geraldo de Oliveira) Descobri os textos do professor de matemática e lógica Charles Lutwidge Dodgson (Lewis Carroll) tarde, em 2013, durante o meu mestrado. Conhecia a história, como várias gerações, as adaptações e em especial pelo desenho da Disney (1951), conservador e adulterado em relação à obra original. Não havia ainda saboreado o texto escrito.
  • XP REBEL: Qual é o som de bananas voadoras?
    (por Lucas Meneguette) Donkey Kong Country mostra a versatilidade dos recursos sonoros nos videogames clássicos – por Lucas Meneguette, Professor de Produção Fonográfica na Fatec Tatuí e Supervisor do NAGA (Núcleo de Áudio e Games)
  • XP REBEL: a quebra da quarta parede em “Bem feito”
    (por Tainá Felix) “Bem feito” é repleto de tarefas cotidianas simples e divertidas, mas que guardam boas surpresas, e uma reflexão mais que filosófica sobre a maneira pela qual nos relacionamos com os jogos.